Nkrê un Son más Son...

sábado, agosto 30, 2014

Encounter com Amélia da Lomba





Espigas do Sahel


Espigas
espigas brotam do Sahel
pioneiras da liberdade
a caminhar sem cautela
pela floresta carregada de espinhos



Pessoas
pessoas
cruzam o meu caminho
penetram lentas e vagarosas
como
térmitas
na sala de interrogatórios
descubro o travo da
traição




Prefiro as hienas
e os lobos
que uivam constantes
todos sabem
donde e onde estão



Do ventre do bosque
ainda que faça silêncio
imaginam meu pensamento
ainda que cerre os dentes
e digo não penso
há gente que diz: mente



Não falo
não penso
oh gente da terra quantas vezes
ofereceis
malavu sem provar 

De: Espigas do Sahel. Luanda: Kilombelombe, 2003: 55-56.

Sem comentários: