Nkrê un Son más Son...

sexta-feira, novembro 11, 2011

Um achismo meu


Leio a boa entrevista "Dôs" com Teté Alhinho e uma passagem afirma "possuis uma voz peculiar, até rara, com tonalidade grave que dá um toque especial..."

Veio-me à cabeça o seguinte. Ao contrário desta afirmação, acredito que a voz da Teté não é necessariamente grave. A meu ver os cantores, tem sido vitimas dos instrumentistas, ou seja, cantam na "zona do instrumento" que têm ficado mais confortável para o violão ou no teclado. No tal do "confort zone".

No caso da Teté, que conheço minimamente o potencial da voz, não se tem explorado a verdadeira amplitude da sua voz, de forma a atingir expressões e timbres bem mais interessantes e que a libertem para o canto.

Receio que um próximo texto sobre a Teté Alhino feito por outra uma pessoa venha a repetir isto e crie um rótulo infeliz sobre uma cantora que, acho, é muito mais do que esta possibilidade grave da sua voz.

Isto lembra-me um pouco o tal "meio tom" do BLeza na morna do qual todos falam e ninguém sabe o que realmente é ou consegue explicar.

Sem comentários:

Follow Us @soratemplates