Facebook
O Son varia com a L´Atitude.

terça-feira, fevereiro 26, 2008

Minha Ignorância à Prova!















Foto Amistad: Baluka Brazão


Há uns tempos atrás, sabendo da noticia sobre a passagem do Amistad por CV, consultei o site http://amistadamerica.org/ para mais info.
Fiquei na altura surpreso com a pouquissima informação sobre Cabo Verde, sobretudo achando eu que CV nesta de rota de escravos pode dar uma aula.
Fiz este post colocando algumas questões.
Despois mandei um email para o pessoal a bordo do Amistad.
Perguntei:
"In your website you stated that “Dakar was a central port for exporting slave cargo. One of its islands, Goree, was one of the principal factories in the triangular trade between Africa, Europe and the Americas. The Portuguese first settled the island in 1450.”

If i learned that the Portuguese navigators arrived first in Cape Verde Islands in 1460, it seems that something may not be correct.

Could you please guide on how to check this…?"
Veio esta chuva de informação que partilho com todos.
........................................................................................
Dear Sir,
I believe that the information posted on Amistad's website is correct. The term "settled" might be imprecise as it is arbitrary. I agree that using the phrase "discovered" or "claimed" for Portugal may be more strict - in that case the date is 1444 or 1445 (depending on sources) by a Portuguese sailor Gomes Pires.

During the Amistad's visit in Lisbon I had a pleasure to attend a lecture on Portuguese Exploration by Professor Joao Paulo Oliveira e Costa from CHAM Universidade Nova de Lisboa on a sesion of Luso-American Foundation.



Summary:

In 1420, Henry the Navigator sent an expedition to secure the uninhabited but strategic island of Madeira. In 1425, he tried to secure the Canary Islands as well, but these were already under firm Castilian control. In 1431, another Portuguese expedition reached and annexed the Azores. Along the western and eastern coasts of Africa, Portuguese sailors reached Cape Bojador in 1434 and Cape Blanco in 1441. In 1433, they built a fortress on the island of Arguin, in modern day Mauritania, trading European wheat and cloth for African gold and slaves. It was the first time that the semi-mythic gold of the Sudan (i.e. slaves) reached Europe without Muslim mediation. Most of the slaves were sent to Madeira, which became, after thorough deforestation, the first European plantation colony. Between 1444 and 1447, the Portuguese explored the coasts of Senegal, Gambia, and Guinea. In 1456, a Venetian captain under Portuguese command explored the islands of Cape Verde. In 1462, two years after Prince Henry's death, Portuguese sailors explored the Bissau islands and named Sierra Leoa (Lion Range).

Gorée Island references (below) are in harmony with our website contents.

1445 - " A descoberta marítima portuguesa permitiu o encontro de outras culturas e, inevitavelmente, de outras paisagens. Em 1445, quando os navegantes conduzidos por Gomes Pires chegavam à ilha de Gorée, descobriram o brasão de D. Henrique gravado em árvores."
Source: Wikipedia
http://pt.wikipedia.org/wiki/Adansonia

Documento nº 152, 1444. Monumenta Henricina, 8º vol., Coimbra, Comissão executiva das Comemorações do V Centenário da Morte do Infante D. Henrique, 1967, pp. 237-239. BNP., Manuscrits portugais, nº 42, fls.55v.-56. JOÃO de BARROS, Ásia, déc.1, liv.1, cap. 10. MARTINHO da BOÉMIA, De prima jnuentione, Gujnee, p. 191. MÜNZER, «Itinerário», p. 44. VALENTIM FERNANDES, O Manuscrito, p. 40. VALENTIM FERNANDES, O Manuscrito, p. 151. ZURARA, Crónica dos feitos da Guiné, cap. 29. Por ordem do infante D. Henrique, Antão Gonçalves e Diogo Afonso, criados daquele, em duas caravelas, a que se associa outra, régia, capitaneada pelo patrão de el-rei Gomes Pires, seguem para o Rio do ouro, a ver se conseguem encetar relações comerciais e de apostolado com seus moradores, mas apenas obtêm um negro e trazem ainda mouro velho, desejoso de ver o infante, o qual ele recebeu bem e depois devolveu a sua terra, onde fica o escudeiro João Fernandes voluntariamente, para estudar aquelas gentes e informar D. Henrique.

Documento nº 154, 1444. Monumenta Henricina, 8º vol., Coimbra, Comissão executiva das Comemorações do V Centenário da Morte do Infante D. Henrique, 1967, pp. 243-246. BNP., Manuscrits portugais, nº 42, fls.57-58v. DUARTE PACHECO PEREIRA, Esmeraldo de situ orbis, liv.1, cap. 26. JOÃO de BARROS, Ásia, déc.1, liv.1, cap. 9. MARTINHO da BOÉMIA, De prima jnuentione, Gujnee, p. 192. VALENTIM FERNANDES, O Manuscrito, p. 64. VALENTIM FERNANDES, O Manuscrito, p. 70. VALENTIM FERNANDES, O Manuscrito, p. 152. ZURARA, Crónica dos feitos da Guiné, cap. 31. Dinis Dias, escudeiro que fora de el-rei D. João I, residente em Lisboa, desejoso de servir o infante D. Henrique e em caravela mandada armar por este, a pedido seu, avança com a companha respectiva para a terra dos negros, onde cativa quatro – os primeiros tomados em sua própria terra pelos portugueses –, atinge o promontório do Cabo Verde e ilha fronteira do mesmo, talvez a de Gorée, e regressa a Portugal.

Documento nº 14, 1445. Monumenta Henricina, 9º vol., Coimbra, Comissão executiva das Comemorações do V Centenário da Morte do Infante D. Henrique, 1968, pp. 33-36. BNP., Manuscrits portugais, nº 42, fls. 120-121v. JOÃO de BARROS, Ásia, déc.1, liv.1, cap. 13. VALENTIM FERNANDES, O Manuscrito, pp 167-168. ZURARA, Crónica dos feitos da Guiné, cap. 72. Rodrigo Eanes de Travaços, que viera juntar-se a Dinis Dias, ao que parece após alagamento da fusta de Palenço, avança com a companha daquele para o Cabo Verde e ilhas fronteiras, nomeadamente a de Gorée, onde Dinis Dias desembarca com dois homens; mas, atento ao número muito superior dos indígenas ali encontrados, convêm os das caravelas em retrocederem para o local onde haviam alagado a fusta e ali, sob proposta de Rodrigo Eanes de Travaços, desejoso de fazer alguma coisa por sua honra, saem em terra 14 homens e, ao encontrarem os indígenas que haviam acorrido a recolher a madeira da fusta desmantelada, os acometem, em peleja em que se evidencia Martim Pereira, moço da câmara do infante D. Henrique.

Documento nº 17, 1445. Monumenta Henricina, 9º vol., Coimbra, Comissão executiva das Comemorações do V Centenário da Morte do Infante D. Henrique, 1968, pp. 39-43. BNP., Manuscrits portugais, nº 42, fls. 123-125v. JOÃO de BARROS, Ásia, déc.1, liv.1, cap. 13. VALENTIM FERNANDES, O Manuscrito, pp 168-169. ZURARA, Crónica dos feitos da Guiné, cap. 75. A caravela de João Gonçalves Zarco, – cuja finalidade era unicamente avançar o mais possível com o descobrimento da terra dos negros e trazer novidades sobre a mesma ao infante D. Henrique, – capitaneada por Álvaro Fernandes, sobrinho de Zarco e criado de pequeno na câmara do dito infante, segue directamente ao rio Senegal e dali ao promontório do Cabo Verde e ilha de Gorée e, em seguida, até o cabo de Naze, donde regressa a Lisboa pela Madeira, havendo sido assim a que em 1445 mais desceu na zona guineense.

1444 - "...Portuguese, the first Europeans to set foot on the Island in 1444."
Source: The African American Registry®,
http://www.aaregistry.com/african_american_history/1519/
Goree_Island_home_of_The_Door_of_No_Return

1444 -"...The island of Gorée was one of the first places in Africa to be settled by Europeans, the Portuguese setting foot on the island in 1444."
1450 - "Being almost devoid of drinking water, the island was not settled prior to the arrival of Europeans. The Portuguese were the first to establish a presence on Gorée (c. 1450),"
Source: Wikipedia
http://en.wikipedia.org/wiki/Gor%C3%A9e

1460 - " Antonio and Bartolomeo da Noli, Genovese navigators in the service of Portugal, claim the Cape Verde Islands. The Islands were officially described as "uninhabited". However, given the prevailing winds and ocean currents in the region the islands may well have been visited by Moors or Wolof, Serer, or perhaps Lebu fishermen from the Guine Coast. Folklore suggests that the islands may have been visited by Arabs or Phoenicians centuries before the arrival of the Europeans. The Portuguese explorer Jaime Cortesao reported a story that Arabs were known to have visited an island which they referred to as "Aulil" or "Ulil" where they took salt from naturally occurring salinas. Some believe they may have been referring to Ilha do Sal. Whatever the case may have been there was no population sufficiently well established to resist complete penetration by the Portuguese.
http://www.umassd.edu/specialprograms/caboverde/cvchrono.html
Share:

O Vicente está de parabéns! Muitos Anos meu!


Share:

sábado, fevereiro 23, 2008

Cidade-Estado!



"O termo Cidade-Estado designa regiões controladas exclusivamente por uma cidade. Cidades-Estados eram comuns na Antigüidade, principalmente na Grécia Antiga, tais como Atenas e Esparta.

Mais tarde as cidades-estado e ligas de cidades-estado também vieram a fazer um papel importantíssimo na Itália. Por exemplo, Gênova, Pisa, Amalfi e, a mais famosa de todas, Veneza.

O mesmo ocorreu na Alemanha, como a Liga Hanseática medieval ('Hansa' é um termo do alemão antigo que significa 'Liga'). Na Alemanha moderna existem três cidades-estado: Hamburgo, Berlim e Bremen.

Atualmente, o termo cidade-estado também é, às vezes, empregado para designar cidades que se transformaram em minúsculos países, como: Vaticano e Mônaco. Politicamente auto-suficientes.

A partir do século VIII, os gregos formaram as chamadas pólis que eram cidades-estados (cidades autónomas): estas cidades eram economicamente autosuficientes (autarquia); tinham uma massa proporcionada de cidadãos; era nestas cidades que se davam os cultos cívicos, religiosos e aos heróis e tinham leis próprias. "

Fonte: wikipedia

No século 21, 2008, Cabo Verde, São Vicente, Onésimo Silveira e seus advisers receberam um contacto do Aristóteles sugerindo que lançassem Mindelo como a primeira cidade-estado das ilhas.

Desde já sou a favor de mais x cidades dessas. Na Somada, Na Santa Cruz, Na Maio, Na Galinheru, na Coculi, també riba monti piku d´Antónia.

Tomodi ê si ki ta da...
Share:

sexta-feira, fevereiro 22, 2008

Acidente e posts pela esquerda!


Ontem estava eu a fazer umas experiencias com blog templates...
advinham o que me aconteceu?

Parece coisa do mundo virtual, mas parti o braço. O direito.
Agora vou fazer posts absolutamente de esquerda!

Mesmo assim que azar. Cuidado pessoal na mudança dos templates. Consultoria com o João Branco.
Share:

quinta-feira, fevereiro 21, 2008

Dôs Pontu contra um ignorância esquisito!


Hoji nkre fazi referencia a dôs alguem, entri kes vários otus importanti na SAGA di Criolo.

1. Armando Napoleão, homi ki diazá na mundu entendi ma bu lingua ê kusa sério...


















2. Carlos Almeida, caboverdiano di São Nicolau kê professor na Universidade de Massachusetts - Merca, undi kê da aula di criolo como um CURSO REGULAR. Dja sa ta bai na 3º ano.


Criolo Sempri.
Share:

Ramedi Santu pa Criolo!



















Dianti di kel iternu pergunta pamodi ki criolo inda ta mora na kintal di casa, sobretudo na cabeça di um eliti ultrapassadu, talvez ramedi santu ta contici dia ki propi portugueses começa ta papia nos lingua.

Afinal sobrevivência des eliti ta dependi tcheu di ses relason ku um campo simbólico de referência inda na metropoli.

Di novu nta lembra ma nu tem um mundu di caboverdianus ki ta vivi na merca, holanda, senegal i otus paises ki ta obriganu pensa es problema di otu manera.

Como nen tudu ê ka trevas, nta dexa un ixemplu, ki ta bem di propri casa di Deus...

Voz di Povu ê voz di Deus!

http://www.nakabuverdianu.com.cv/
Share:

Criolo - Onti, Oji, Manhan, Sempri!





















Ten tcheu entri nós ki inda ten duvida!
Share:

quarta-feira, fevereiro 20, 2008

Diálogo à PDM!


Perguntei a um cidadão a razão porque fazia xixi em plena luz dia no plateau, e perto de instituições da Républica, residencias de famílias, respondeu-me:


"nsta expressa nha liberdade"!


Isto é realmente de loucos...aceito ajuda de todos para melhor entender este CDM (cidadão de desenvolvimento médio).
Share:

12 Palavras!


1. Palavra
2. Son
3. Azul
4. Verdi
5. ilha
6. ri
7. abraçu
8. vida
9. mar
10. violão
11. silêncio
12. fazi
Share:

sexta-feira, fevereiro 15, 2008

Santo Valentino em tempos de Praia Digital!












De acordo com o telejornal de ontem, a nossa criativa TEVEC saiu às ruas, também na sua criativa habitual "ronda" para saber o que os jovens pensam do dia dos namorados.

Assim saiu esta num encontro entre a Jornalista e um jovem estudante de 15 anos...

Jornalista: "pamodi ki bu ta namora ku bu piquena?"

Resposta do Estudante de 15 anos: "pamodi el ê BOA..."

Jornalista: "Kuzé ki más bu gosta na el?"

Resposta do Estudante de 15 anos: "keli gó n´na podi fla...!

Jesus Maria!!!
Share:

15 anos de muita MERDA!



Parabéns a todos pela OBRA, que foi fazer e manter os 15 anos.

Parabéns a ti João pela teimosia.

Convido-te (ou alguém devia convidar-te) a passar pelo menos 15 dias aqui pelos lados do Sul.

Garanto que aqui há também matéria prima e muita malta jovem cheio de vontade de fazer coisas.

Precisa mesmo é alguém para aterrar como fizestes há 15 anos...com paixão pelo teatro e pelas artes.

Um abraço.

Share:

quinta-feira, fevereiro 14, 2008

Constatação!



Os blogs estão a criar uma autêntica ponte aérea entre Praia e Mindelo.

É só ler por aí...parabéns a todos.

Share:

quarta-feira, fevereiro 13, 2008

Ilhas Funerárias!


Um empreendedor, como está na moda agora dizer, criou uma empresa de nome Ilhas Funerárias.


Publicidade à parte, é a mais nova casa funerária da capital.


Um nome de empresa altamente :) ...


É de se convidar a todas as ilhas para morrermos de uma sentada!

Share:

Opinion...



Calçada artistica, dexa sima staba, terra batida, alcatron...opinion ê varios.

Oji nda um volta "a pés" na via principal di plateau dipos di asfaltado.

Fixi odja ma panoramica di cidade muda i podi muda inda más.

Agó más fixi inda ê podi obi musica na carro ku tudo frequencias di som ki bu tem direito.

Avenida sa ta caminha pa agora sim, ostenta nomi di kem kê ta carrega!
Share:

segunda-feira, fevereiro 11, 2008

Eureka!





















Oji...

Sol

Ventu

Mar

Ómi Verdianu...


Kuatu trunfu

na ponta´l dedu nos intilijência


SENTRADU

na bisetris di seti banda´l mundu.


MANHAN Ô MÁS MANHAN...

Ken ki sabe...Si:


Sol

Ventu

Mar

Ómi Verdianu...

Ka kuatu pozison de forsa (na konpasu spéra)

Pa disperta na MANHAN DI OTU MANHAN

Poema di Kaká Barboza
Share:

sexta-feira, fevereiro 08, 2008

Praia City!

Um iniciativa de Nuno Levy, um entusiasta de TIC e redes colaborativas.
Nuno conseguiu por de pé um ponto de encontro de pessoas que está a crescer imparavelmente.

Faço parte da rede e obrigado Nuno pela ideia.


Visita Praia City
Share:

quinta-feira, fevereiro 07, 2008

A melhor marca do Ano!


Uma ideia que está crescer. Já se vê em muitos lados! Preste atenção.
Share:

Yes, Carnaval!















Saí para ver o carnaval...fiquei deslumbrado com tanta gente a brincar e tanta gente original...
Perguntei a mim mesmo aonde é que isto vai parar...é imparável.
Veja mais no "campion di bilheti celebrativo" escrito pelo meu mano Kaká.
Foto: KB
Share:

Cinza na nha Ilha!


parti 1:

1. Pexi cozido
2. covi
3. cenora
4. batata doci
5. mandioca
6. batata inglesa
7. xerem
8. troxida
9. azeti

parti 2:
1. cuscus
2. mel
parti 3:
tudu keli gó....MÁ TCHEU!!!
Share:

terça-feira, fevereiro 05, 2008

O Trabalho do Ministro!

















Fonte: Asemana

– Kriolidadi – Em termos culturais, qual o balanço que faz do ano 2007?

– Manuel Veiga – Antes de mais, gostaria de registar que o ano de 2007 foi muito profícuo, em termos culturais. É certo que a cultura ainda não atingiu o patamar que merece e não conseguiu ainda dar o grande salto sonhado e desejado. Porém, a situação mudou, significativamente, e novas ideias de mudanças pairam no horizonte.

Com efeito, começa a ganhar contornos mais defi nidos uma nova percepção de cultura, interpretada como um complexo unitário de elementos complementares, mas distintos, onde sobressaem várias vertentes, entre as quais: a faceta identitária, a de estética e criatividade,
a de investigação e interpretação do real, a de salvaguarda e interiorização patrimonial, a de lazer e de manifestações artísticas, a de organização ética, política e religiosa das várias formas e
conteúdos do existir humano, a de gestão económica, empresarial e promocional das diversas indústrias de cultura.
Em poucas palavras, a cultura vem sendo entendida, de forma cada vez mais abrangente e globalizada, como resposta, visão e interpretação do real, como atitude ética, estética, histórica, pedagógica, ambiental, lúdica, jurídica, política, económica e religiosa do homem, na complexidade do seu existir. É em sintonia com essa percepção dinâmica, transversal e unitária da cultura que gostaríamos de apresentar o balanço governamental do sector.

Foram inúmeras as realizações levadas a cabo, entre outras: o Simpósio Internacional sobre a Geração Centenária do Movimento Claridoso, na Praia; o Dia Nacional da Cultura sob o signo da Claridade, em S. Vicente, no Fogo, na Brava e em Santo Antão; a participação numa Feira do Livro em Fortaleza, no âmbito das celebrações claridosas centenárias; a participação no centenário de nascimento de Baltasar Lopes organizado pela Câmara de Ribeira Brava; a conferência internacional sobre “Cidade Velha – O Futuro do Passado; a
elaboração do Dossier de Candidatura da Cidade Velha a Património da Humanidade; a inauguração de três Igrejas restauradas, respectivamente, Nossa Senhora da Conceição, em S. Filipe (Fogo), Nossa Senhora do Rosário, na Ribeira Brava (S. Nicolau) e Nossa Senhora
do Rosário, na Ribeira Grande, em Santo Antão; o restauro do antigo Centro Nacional de Artesanato, já na fase fi nal de conclusão; a requalifi cação de algumas casas históricas na Rua da Banana, na Cidade Velha; a visita da Ministra da Cultura de Portugal a Cabo Verde;
a realização do VI Encontro dos Ministros da Cultura da CPLP em Cabo Verde; a realização de feiras do livro em vários pontos do país; várias edições de obras signifi cativas, destacando-se a História Concisa de Cabo Verde; a recuperação, organização, digitalização e microfilmagem de vários documentos históricos; a organização de várias exposições no domínio da arte e da história; a concessão de vários patrocínios à arte e à cultura, tanto no aspecto de criatividade,
de interpretação, de animação, de formação e de divulgação, dentro e fora do País.

– Que projectos o Ministério da Cultura tem para 2008?

– 2008 vai ser um ano de várias novidades, na área da cultural.
Desde logo, o Dossier de Candidatura da Cidade Velha a Património da Humanidade será entregue à UNESCO; o Dia Nacional da Cultura será celebrado sob o signo da música e haverá dois concursos, sendo um para a descoberta de talento jovem e outro para a reconfirmação e distinção de conceituados artistas. Os galardoados serão conhecidos numa grande gala musical, no seguimento dos concursos de apresentação e de promoção das respectivas obras.
Outro projecto-bandeira para 2008 é o Fórum sobre a Economia do Desenvolvimento Cultural, onde se vai discutir e partilhar a experiência de Cabo Verde com experiências mais avançadas da África, Europa e América, no tocante à promoção e fi nanciamento da cultura, no concernente à industrialização da cultura e ao combate à pirataria no campo do audiovisual, tendo por objectivo fundamental a procura de auto sustentabilidade cultural. Constitui ainda novidade para 2008 a institucionalização de uma bolsa de criatividade cultural, lançamento de concursos para a concepção do Monumento à Liberdade e do Memorial ao Capitão Ambrósio e, ainda, a celebração
do Décimo Aniversário do ALUPEC.

Vários outros projectos estarão na agenda de 2008, como o concurso para o Grande Prémio “Cidade Velha”, a criação de uma Casa de Cultura no Maio, a recuperação de vários elementos do património cultural em diversas ilhas e concelhos do país, a requalificação do Bairro de S. Sebastião e o projecto da segunda fase da Sé Catedral, na “Cidade Velha”, a segunda fase da recuperação da Capitania Velha, em S. Vicente.
Vai ser feita a musealização do Museu da Tabanca e do da Resistência, a inauguração e musealização do Centro Nacional de Artesanato. Serão várias as obras a serem editadas como: as Actas do Simpósio Claridade de 1986 e de 2007, Claridade na Palavra dos Outros, o Ano Mágico de 2006 – Olhares retrospectivos sobre a cultura e a história cabo-verdianas, Três Décadas de Artes Plásticas, reedição e publicação de algumas obras no ALUPEC e de alguns clássicos já esgotados, como ainda a edição do Dicionário Bilingue Crioulo-Português; participação na Feira do livro de Lisboa, em que Cabo Verde será País tema, organização de uma feira cultural em Boston, patrocínios e incentivos vários à arte, à investigação e à formação, na área cultural.
Share:

segunda-feira, fevereiro 04, 2008

Crítica! Afinal existe alguma...
















Alguém que também assitiu ao último concerto do Tcheka disse:

"O concerto do menino da Ribeira da Barca esteve longe de ser brilhante, falta corpo instrumental, falta talvez gente no palco e mais ousadia na voz e nos improvisos que um espectáculo ao vivo pedem.
Precisa, talvez, de mais energia..."

Diante do estrondoso silêncio que é a critica é de realçar a coragem desta voz.

Além de concordar com a apreciação, tenho tido a percepção que os nossos artistas estão confinados a um formato de produção que força uma lógica minimalista rídicula...

Aceito o Tcheka como artista que é e está fora de questão a qualidade que tem.
Agora colocá-lo com um trio, daqui a nada vem a versão "Tcheka Voz e Violão", isto já é dose.

Maestro, som na caixa!!!

foto: http://nhaterra2005.blogspot.com/
Share:

sexta-feira, fevereiro 01, 2008

Arte Contemporânea!
















"A arte contemporânea entra em cena a partir dos anos 70, quando as importantes mudanças no mundo e na nossa relação de tempo e espaço transformam globalmente os seres humanos."


fonte: wikipedia

Dúvida... Humanos ou animais?

foto de Pedro Moita (http://nhaterra2005.blogspot.com/)
Share:

Duas Frases!









Frase 1.
"Vocês vieram nos procurar porque esta ilha de São Vicente vive um pouco de ficção e de mito..."

Autora: Isaura Gomes (noticiário na TVEC, 31/jan/2008)

Frase 2.

"Se Cabo Verde hoje é PDM é sobretudo graças à Cultura."

Autor: Manuel Veiga, (Asemana, 01/Fev/2008)

Até o momento deste post ainda não consegui entender o alcance destes autênticos "statements".

Talvez uma categoria "Frases Cafeanas" do João ia dar um jeito. Fica a sugestão :)

Share:

Nha Diploma!













Bom, ami djan downloudi nha diplma di mérito.
Nsta imocianadu ku ês iniciativa li di director di cultura di alamarginal.
Nta prometi prinda nha diploma na paredi.
Share:

Pesquisar neste blogue

Categories

Popular Posts

Blog Archive

Visitors

Copyright © O Son varia com a L´Atitude | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com | Distributed By Blogger Templates20