Mário Fonseca - "Um Sujão"

12:26 da tarde Angelo Barbosa 0 Comments



Ontem fui assistir a este evento promovido pela Fundação Amilcar Cabral e pelos seus amigos.
Teve intro com poesia e música.
Teve ainda um prolongado quase que pedido de perdão ao Sr. Embaixador da França pela sua ausência, coisa que pessoalmente achei descabido.
Teve ainda os tocares de telemóvel de gente que ainda vai a estas coisas mais para encher agenda ou "representar", enfim, teve tudo isso.
Mas teve o bife da sessão que foi ouvir o nosso Mário Fonseca a falar da vida e obra de Aimé Cesaire.
Mais do que isso, a falar do contexto em que surge e vive. A Convivência com Senghor, "aonde bebeu", quem leu, a dinâmica dos "negros" da época e a teorização sobre a negritude.
"Às tantas", Mário Fonseca suja o quadro excessivamente formal do inicio da conversa(me preocupa tanta formalidade para se falar de arte) para fazer duras reflexões sobre a "mente colonial do Grand Pére" em relação a suas colónias.
Mário havia dito num outro evento que a poesia não é ornamentação. O homem continua coerente.
Valeu a iniciativa obrigado a todos.

You Might Also Like

0 comments: