segunda-feira, abril 21, 2008

São Vicente - Universidades por metro quadrado!

Posted by with 5 comments

Curioso.

A campanha politica em São Vicente, obrigou a esta colocação:
"Universidade de São Vicente para combater o desemprego".

Interessante lembrar que Mindelo tem já as seguintes "universidades" o que a torna uma séria candidata a ranking mundial em termos de instituições de ensino por metro quadrado, tal como Boston com os seus MIT, BU, Umass, Harvard and so on.

Eis a lista das instituições:

1. Isecmar
2. IESIG
3. ISE
4. ISCEE
5. Mindelo Escola Internacional de Artes
6. Lusófona
7. Piaget
8. Universidade de São Vicente
9. e outras por anunciar breve

Fica no entanto algumas perguntas:
A universidade é para resolver o desemprego ou já se deu conta que ela pode ser um bom negócio?aonde estão tantos alunos e sobretudo quem são os professores? o que é que acham as pessoas em Mindelo?
Reacções:

5 comentários:

Cesar Schofield Cardoso disse...

Este teu post merecia um outdoor, do tamanho desses que usam os políticos para (des)informar.

Valeu cidadão!
César Schofield Cardoso

João Branco disse...

Falta a MEI-A, Escola Internacional de Artes. Não conheço é essa «Universidade de São Vicente»...

João Branco disse...

Ah, mais uma dúvida. Quem autoriza as Universidades a funcionar? Quem promulga os cursos, mediante o respeito por determinadas condições? É ou não exigido às instituições do ensino superior que haja um número mínimo de professores catedráticos? Eu não percebo muito disto, mas acho que todo este processo passa pelo Ministério de Educação e ensino Superior, ou estarei enganado?

Se há por aí negociatas pouco claras em nome de um ensino superior em Cabo Verde a quem devem ser assacadas as primeiras responsabilidades?

Alex disse...

Faltou-te aí uma pergunta. Quiçá, A pergunta.
Elas servem para "resolver" o problema do desemprego, ou não passam de fonte líquida de desemprego?
Tantas Universidades e Institutos (até parece caricatura não é verdade) fazem parte da solução, ou dos problemas?
As interrogações têm apenas a ver com a minha perplexidade, não fazia a mínima ideia.
Pergunto apenas, inocentemente, pela qualidade de tanto ensino. Que competências saem dessas Uni's e Insti's? Qual a sua relevância, científica, pedagógica e académica?
Ao menos teremos no futuro mais desempregados, QUALIFICADOS. Sempre faz alguma diferença. Não se resolve o problema do desemprego, mas melhora-se, e muito, as estatísticas. O que dá um jeitão!
Brincadeiras à parte, a necessidade de qualificação do país é fundamental para enfrentar os desafios do futuro. Seja na atracção de investimento mais qualificado, seja na "exportação" de massa cinzenta e mão de obra minimamente qualificada, para mercados de trabalho mais atractivos (para o primeiro caso), e/ou mais carenciados (para o segundo caso). Já lá vai o tempo das Roças e da JPimenta.
Insisto, à primeira vista é 'fruta a mais', quase roça a caricatura.
ZCunha

Eileen disse...

Eu andei a comentar a mesma coisa, Djinho, mas nem contei assim tantas unis. Está muito bem visto este post e os comentários que se lhes seguiram. Tnato ensino superior, e continuaremos a sentir falta dos técnicos... Se o tempo voltasse atrás, eu fazia um curso técnico de electricidade ou canalização e estava a fazer fortunas a esta hora!