sexta-feira, abril 18, 2008

Para quando a primeira pedra da critica!

Posted by with 6 comments

1. Fica difícil a critica num momento em parece todos estamos a querer investir no chamado "CAPITAL SOCIAL".

Quando assim é, é estratégicamente errado CRITICAR.
Senão queimamos as nossas chances e oportunidades em aumentar o CAPITAL.


"Tá-se" bem com todos, embora reservadamente sabemos que não gostamos do trabalho deste ou daquele, ou admiramos este ou aquele.
Enfim, é complicado!
Reacções:

6 comentários:

hiena disse...

..um ta otchâ, que nôs é um povo,pouco receptivo à critica, ou não à sabemos fazer ou não a sabemos ouvir...
Criticar alguém(kés k são) na negativa é arranjar um inimigo, ou passar pelo mau da fita, e é como por exemplo o k passa que multimerdia, um blog, que à nivel de critica (seja em que area) era muito intressante( e lapidante,pra rimar), e pena que tenha desaparecido do panorama blogistico...
fca cool, e keep posting

João Branco disse...

Eu conheço essa frase d'algum lado... hehehe Hum...

Alex disse...

Com tantas Universidades, e Institutos, e não se arranja por aí meia dúzia de ... críticos???
Ou será que o nosso sentido crítico está tão doente que já nos contentamos com os GRÍTICOS da praça???
Ah, ah, ah, ah...

Djinho, a pergunta que fazes (já a vi feita vezes sem conta), está já tão batida que já vai sendo tempo, de ser tempo de respostas.
Pondo de parte aquilo a que o Antero de Quental designou brilhantemente por "escola de elogio mútuo" (há aí comment's em post's, e blog's, que são disso um bom exemplo), e não se trata de elogiar o mérito alheio, o que entre nós também não abunda, mas algumas evidências são tão gritantes que incomodam (hoje é o dia das perplexidades!). Os melhores Blog's, e dentre estes, os melhores Post's, sofrem todos de "anorexia commentativae". Os assuntos mais interessantes (para mim, claro!), os mais pertinentes(para mim, claro!), e até alguns dos mais actuais (para mim, claro!), ou são simplesmente ignorados, como se tivessem lepra, ou não passam de dois ou tres comentários, sempre dos mesmos 'ranhosos', de entre os quais me incluo (e só me incluo para evitar ferir susceptibilidades, claro!)
Os exemplos, neste caso, de tantos, são desnecessários, "penso eu de que".
ZC

João Branco disse...

ZCunha, olha que já estivemos bem pior! Dois exemplos recentes, e o Djinho que me perdoe a auto-promoção: post no Margoso intitulado «Internacionalização»: gerou, e ainda está a gerar, uma interessante tertúlia sobre o poder das nações sobre bens que, mesmo estando no seu território, são património de todos; pergunta cafeana sobre a poligamia: um assunto que merece até estudos mais aprofundados de raiz sociológica e antropológica. Para já, bateu todos os records do Margoso, com 52 comments, até agora. Falar, criticar, opinar, mandar bitaites, o pessoal até quer, resta saber como e onde! Os locais onde isso é possivel fazer também não são muitos. Bem haja a blogosfera crioula! Abraço

Alex disse...

Pois é João, a quem o dizes. Eu tenho andado por lá. Mas não me referia às situações de excepção. E também não quis entrar em detalhes. Mas para cada bom exemplo que apontas dou-te , no mínimo, 5 exemplos contrários. Vale a aposta? Não, não vale a pena, porque é uma evidência. Diz-me lá quantas vezes esta discussão sobre a ausência de crítica já foi aberta? Montes! Mas se quiseres deixar de fora os Blogues, peguemos nos "jornais" electrónicos que estão aí disponíveis. Que tipo de debate encontras que valha a pena? Que crítica que valha a pena (de livros - e são tantos publicados por ano; de teatro - o que vai havendo; de cinema - o pouco que se vai vendo; de artes plásticas - o que se vai mostrando e já não é assim tão pouco). Porra meu, quando descubro que se passou algo, vou avidamente à procura de uma critica, de uma análise, de uma opinião mais forte que me dê feedback, que me diga qq coisa do que se passou, e NADA! Duas ou tres linhas de vazio total. Salvem-se as entrevistas que se vão publicando no A SEMANA, os artigos de opinião que o Mário ou o JCFonseca vão publicando no EXPRESSO..., um ou outro artigo que "O Liberal" vai mostrando.
Desculpa lá mas os teus exemplos são tb os meus, mas convenhamos, é pouco, e NÃO CHEGA! O pior é que opinião política e social, parece que toda a gente tem, e todos se dedicam com afinco ao mesmo.
Penso que a pergunta do Djinho era muito mais ampla, e muito mais abrangente, do que limitar-se à blogosfera.
A pergunta do Djinho mantém-se intacta, e a minha idem aspas. Com tanta formação média e superior, pergunto para onde é que está a ser canalizado o esforço intelectual de toda essa "multidão"?

Di zimola!
ZC

João Branco disse...

Tens toda a razão. Abr. JB E essa tua última frase vai ser transformada numa cafeana!