Nkrê un Son más Son...

segunda-feira, dezembro 10, 2007

Um texto Kompiladu!


Bento Oliveira, gostou do clima que esteve à volta da sua exposição.

Mais do que isto, aproveitou para dar um giro, conhecer, falar com as gentes de cá.

No interior da ilha Bento respirou tipo um "regresso a Santo Antão", com gente simples e o clima das montanhas.

Esta estadia do artista deixa, para além da exposição, o texto que Abraão Vicente desenhou para apresentar a obra.

Son di Santiagu registou!

BENTO OLIVEIRA

“Entre o trabalho e o sonho”

Entre o trabalho e o sonho, mas também, entre a memória e o esquecimento, entre o momento e o movimento, entre Bento e a sua condição existencial de mediador. Mediador do não dito, mandatário da imanência das coisas e das estórias. Como persuadir os olhos que vêm que as linhas, as cores, as formas, a matéria no papel, do papel, no corpo da obra é apenas pretexto. Nunca linha, cor, forma, matéria, corpo, mas apenas subterfúgio, empréstimo do tempo à substância para que a obra seja coisa de se ver. Por fim, como dizer em poucas palavras que aqui se reinventa a natureza das coisas e que o mimetismo além de metáfora é linguagem.

A obra de Bento nasce de um exercício de síntese, de procura minuciosa de sentido nos signos, mas também o inverso: do signo nos sentidos. A economia de recursos em cada composição surge, não como escassez de presságios, mas sobretudo como predição de que a cada momento pictórico corresponderá um exacto estado místico encarnado por objectos, que claramente, se disfarçam de gente e dão sentido à narrativa.
Bento Oliveira, como artista cabo-verdiano é fiel ao imaginário, aos símbolos e à riqueza espiritual da sua cultura, remetendo declaradamente as coordenadas espaciais do seu âmago como ser para um espaço preciso: 15 17 N (Santo Antão). Por outro lado, como artista universal e contemporâneo, reinterpreta as noções de tempo e dialecto, negando a narração fechada dos factos, mitos, ícones e clichés rotulados como o “tipicamente cabo-verdiano”.

A obra de Bento é a mais recente afirmação da inovação nas artes plásticas cabo-verdianas que se atesta não na recusa da tradição, mas na sua definitiva renovação. A linguagem plástica de Bento estende-se da pintura e desenho à gravura, à escultura, à instalação e à performance, o que o torna um artista de características únicas dentro do panorama das artes plásticas cabo-verdianas.

“Entre o trabalho e o sonho”, é a primeira exposição individual de Bento de Oliveira na cidade da Praia, marcando por isso, o início de uma relação com um público novo, que espero, venha a ter a benesse de apreciar a consagração definitiva de Bento em todas as suas formas de expressão.

Abraão Vicente

Sem comentários:

Follow Us @soratemplates