Indignação!

12:27 da tarde Angelo Barbosa 3 Comments


Lançou-se um repto há dias para que todos manisfestassem a sua indignação e protesto contra a onda de violência que passeia por todo o lado. A ideia era de uma marcha.

Houve a concentração e até a marcha. Com pouco mais de 20 pessoas.
Decidiu-se sair da Pracinha até à Praça 12 de Setembro.

Houve ainda palavras de protesto e levantar de cartazes, inclusive o meu feito especialmente para o evento.

Fica a pergunta o porquê da não multidão e essas coisas.
Penso que sei a resposta, mas hoje deixo em vez disso uma pergunta.

O criolo indigna-se com o quê?

Onde estão os intelectuais, artistas, igrejas, politicos, estudantes, ongs, empresários...o escritório dos Direitos Humanos, os defensores da onda cívida, e sobretudo as vítimas?

Alguém vai dizer não sabiam. Tretas!

Kasu body geral!

You Might Also Like

3 comments:

Salim disse...

LOL @ kasu body geral!

"In the beginning of a change, the patriot is a scarce man, and brave, and hated and scorned. When his cause succeeds, the timid join him, for then it costs nothing to be a patriot."
~Mark Twain

N ka sabi si N podi fla ma nos e patriota, i nen ma nos kauza sta ben ten susesu, ma pelu menus nu da kara!

1 love

djoyamado disse...

Temos Medo, Djinho!

Questão 1: “Onde estão os intelectuais, artistas, igrejas, políticos, estudantes, ONGs, empresários...o escritório dos Direitos Humanos, os defensores da onda cívica, e sobretudo as vítimas?”


Nós, os intelectuais, temos medo porque não nos fica bem participar em passeatas e depois correr o risco de não reunir patrocínio para o próximo livro ou o convite para moderar ou apresentar uma comunicação numa conferência de grande nível.

Nós, os artistas, não fomos à passeata por medo de sermos vistos no Telejornal e ficarmos de fora dos festivais, de convite para animar jantares e fecharmos algumas portas importantes para a produção do próximo CD.

Nós, os religiosos, não estivemos lá porque tivemos medo que os nossos fieis, pensando que agora resolvemos descambar para a política, rumassem para outras confissões.

Nós, os estudantes, temos medo do papá e da Mama, que não nos querem ver em actos que podem bater de frente com os seus respectivos chefes.

Nós, as ONGs, temos o receio de dar a cara nestes casos, pois podemos ser conotados com Partido A ou B, e isto pode significar menos capacidade de mobilização de recursos ....

Nós, os empresários, achamos por bem não aparecer na medida em que poderia pôr em causa importantes connections...

Nós, os políticos, tivemos receio em estragar a manifestação com a nossa presença, pois os adversários iriam dizer que o nosso partido estaria por detrás do acto.

Nós, as vítimas, tivemos medo de dar a cara, ainda com sinais de maltrato, e sermos motivo de chacota no trabalho, na rua....

Questão 2: “O crioulo indigna-se com o quê?”

Nós também temos medo de nos indignarmos, e ponto final!

Obikuelu disse...

Interessante o olhar do Djoy, parece que todos temos rabo preso por alguma coisa e preferimos a retranca. Expressão também do nosso elevado conformismo e de um deixar andar que possibilitam que "coisas" erradas se enraízem e fiquemos pelo: "kusas li e si!"

Passo fundamental nessa caminhada é conquistarmos a nossa cidadania e essa não cairá do céu se não assumirmos as nossa vontades colectivas.