Nkrê un Son más Son...

quinta-feira, abril 12, 2007

Tough Lady e Matrix de Pensamento ainda criolo!

Hoje fiquei careca ao ler isto...

"não sou uma investigadora cabo-verdeana. Sou uma investigadora portuguesa de ascendência cabo-verdeana. Tenho nacionalidade portuguesa por direito de sangue e não por direito de solo. Julgo também importante sublinhar aqui que, sendo portuguesa, sou, por inerência, europeia e não africana. O facto de ser natural de um país/ex-colónia portuguesa situado na costa africana, em nada me obriga a identificar-me com África ou como africana! "

Segundo a Base de Dados do Centro de Estudos Cabo Verdeanos - CESC "this lady" de nome Nome Maria de Fátima de Brito Monteiro nasceu em Ponta do Sol, ilha de Sintanton em 1958.

By the way, nice picture!

veja mais em asemana .

7 comentários:

Miau Fu Fu disse...

A Senhora parece ser meio pancadeada, contudo, louca ou não, ela tem-nos no lugar. Ah ah ah. Agora a sério, acredito que somos o que sentimos ser e ela, apesar de ter nascido em cv e ter ascendência cv pode perfeitamente não se sentir cv. Não assumiu a creolidade. Porque o terá feito? Sobrevivência? Educação? Não interessa. Não sabemos. Contudo acho que não nos compete julgar. É mais do que tempo do cv se deixar desses complexos, hoje em dia cada um é o que assume ser, por interiorização e aculturação e não por cor de pele e/ou local onde nasceu.

O João Branco por exemplo, ninguem me venha dizer que ele se sente 100% português porque me vou por a rir na cara da pessoa. O João Branco é o creolo e é cv, contudo não tem ascendecia cv e tão pouco cor da pele. Got it??? Ele aculturou-se ou aculturamo-lo nós de cv.

Miau Fu Fu

kijack disse...

...Kuitada!!! :(

Uandan disse...

Acho que qualquer pessoa tem o direito de optar pela nacionalidade que lhe aptece ou convem (senão não seria o Zidane Frances, o Fujimori Chileno ou o Sergio Frusoni Caboverdiano). Mas afirmar que "Quem possui um grau de Doutor atribuído por Harvard, tem uma nacionalidade europeia e goza ainda de uma autorização de residência permanente nos Estados Unidos, não precisa de ir a Cabo Verde promover-se. A menos que cometa um acto hediondo, tem a sua promoção vitaliciamente garantida em qualquer parte do mundo, incluindo Cabo Verde!!" demonstra um "se achar" tipico do mestiço alforiado que desdenha o escravo.
Que uma luz a ilumine e a faça ver que nem somos tão pequenos nem os Europeus/Americanos o tanto que ela pensa ser.
Se não fosse educado mandava-a enfiar a sua grandeza europeia no ..

Nascida na ponta do Sol e é portuguesa por sangue. Take a look in the mirror e não me faça rir

Anónimo disse...

Santa Pobreza de Espirito!

hiena disse...

...boca as vez ta dze mais koza ke kuraçon...razão pa dzê mais valia 'm estôde calôde

Anónimo disse...

eu quero ler o textio de germano versus abraao; isso é que me interessa e nao ess doida

Anónimo disse...

Os complexos do espirito sao uma coisa espantosa...
Por vezes...ele ha com cada uma! (como dizem os portugueses europeus)
Concordo que cada um abrace o pais que queira, seja por razões de ter nascido, seja por ter crescido, seja apenas por pura indetificação cultural, mas é importante ter amor à propria pele. E isso, não me parece que a senhora tenha, amor à sua condição de não branca, e a si mesma. Mas enfim...ela la sabe porque assim é.
Não vale a pena criticar. Olhe o que lhe digo é que quando lá os europeus lhe dizerem que lhe falta alguma claridade para lhes pertencer de facto, quando o seu titulo de harvard não lhe servir de protecção para condição social em mais lugar nenhum, quando se cansar de rirem do seu esforço inglorio de pertença...esse cantinho de terra que tanto acha pequeno e nada, há de ser seu refugio mais que perfeito.
É que do meu ponto de vista, não é preciso a pessoa querer ser de um lugar para o lugar ser da pessoa.

Vanessa Oliveira G.

Follow Us @soratemplates