Nkrê un Son más Son...

sábado, dezembro 02, 2006

D. Quixote of the Islands!

Parte do Texto.

“Quixote gostava de vento. E por aqui havia dois bandos: Barlavento e Sotavento. Com os ventos vinham os gafanhotos – esses anjos do deserto. Os moinhos de vento nasciam já cansados de poços que nunca deram de mamar à terra. E na velhice tinham como única ocupação ceifar asas dos gafanhotos.

Quando o vento soprava de um lado Quixote ficava magro, magro, magro. E do engenhoso fidalgo descenderam muitos meninos eternamente magros no tempo e no espaço. Quando o vento soprava do outro lado Quixote se convertia em Sancho Panza, e parecia gordo, mas não o era, estava apenas prenhe de outros tantos meninos gordos no espaço e magro no tempo..”

...................

Caros Manu Preto e Mário Lúcio,

Ontem não podia faltar à estreia de “D. Quixote das Ilhas” – o nosso Quixote.

Para ser breve, já que talvez não tenha argumentos para criticar o que vi, deixo-vos publicamente minha grande admiração e reconhecimento pelo trabalho de mais de 2 anos que agora dividem com o público.

Achei o espaço “pequeno” para a dimensão da grande obra que “transpiraram”.
Uma coreografia muito bem musicada o que me pareceu realmente um trabalho intenso de conversa e acertos ainda longe do palco.
Valeu muito a paixão e a entrega na realização. Valeu ainda todo o trabalho de som e luz conseguiram. O som da guitarra e da voz foi de alto nível.
Parabéns a todos.


Considero ter sido um grande momento de actividade criativa e de exercício da arte.
Que seja dado a D. Quixote a oportunidade de aproveitar o vento e viajar pelas ilhas e pelo mundo.

PS: Nota 10 ao Director do CCP por ter pedido o desligar dos telemóveis.

Sem comentários:

Follow Us @soratemplates