CV made in the USA

12:17 da manhã Angelo Barbosa 1 Comments


Telefonei ao meu primo Zé Rui no meio da semana.
Fiquei a saber que Grace Evora ia tocar em Rhode Island na Sexta.
Ia ser um formato acústico.

O problema era como ir ao Club Tropical.
Consegui o contacto do Dick (di Anu Nobu) meu bom colega dos tempos de Finason, pelo qual tenho um carinho enorme.
Sexta feira. Ás 11 da noite estamos a caminho. O percurso foi para, claro, falarmos um pouco sobre músico. Dick está às voltas com um projecto para eternizar as músicas do Pai. Boa, man!

O Club Tropical é um espaço pequeno. Ficou ainda mais pequeno nesta noite.
A banda era de luxo. Calú (bateria), Djim Job (Baixo), César Lima (violão), Johnny Fonseca (violão), Zé Rui (cavaquinho) e Grace Evora.
A música saia alegre e o pessoal, sobretudo as criolas cantavam.
Interessante ouvir inglês nas pausas e criolo durante as musicas.
A mesma coisa que dizer que “nu ta mora li má nu sta la”.
Isto é de facto esta grande coisa que vem se chamando de “caboverdianidade”.

Pude ainda, ver e conversar com músicos que não via há já algum tempo, Calú Bana, Pulonga, Djudja e ainda com pessoas que se lembram dos tempo em que Finason trouxe o funaná para os states.

Bons tempos e boas lembranças. Posted by Picasa

You Might Also Like

1 comments:

Anónimo disse...

Bu sa ta anda longe Djinho. Di qualquer manera, ou li, ou la, "Nos tudo é di li".
Um grande abraço di torrão.