Nta Mora Li - Noticias de Barcelona

1:19 da manhã Angelo Barbosa 0 Comments


“Los Castigados” emigram para Cabo Verde

Depois de uma semana de chuva e tempestades, imagine-se tropicais, em pleno mediterrâneo, hoje sexta-feira, momento de lavar roupa suja e secá-la ao sol.
Barcelona encanta-me pois aqui cai por solo, patética, aquela mania já antiga de enganarmo-nos uns aos outros de sermos todos iguais. Aqui viva a desigualdade.

Ontem fui visitar Andrea Luschi, pintor Italiano, meu amigo da espera. Andrea anda a trabalhar na série Die another day, retratos explicativos do consumismo, da necessidade contemporânea de estar sempre na moda. Andrea não está muito feliz, anda a trabalhar na Loja Mango para poder pagar as contas, a pintura ainda não dá para viver.
Bebemos umas quantas birras e convidamos mais amigos da lide, a sentados no chão do atelier, visionarmos uma selecção de fotos “Cabo Verde Spritu Lebi”.

No Final repetimos os slides enquanto conversávamos. A lista de exposições para Cabo Verde cresce todos os dias. Eu prometo como um político descarado e corrupto que hei-de levá-los a todos um dia. E o conseguiremos.
Em dias de tormenta, Barcelona também se faz de filmes: Bianca de Nanni Moretti, Berlinguer ti voglio Bene de Giuseppe Bertolucci, Frida outra vez , fargo como não de Joel Cohen, Bigfish para a fantasia, Blow uma história de droga, sexo, fantasia e decadência, mais filme italiano e Prima Della Revoluzioni de Bernardo Bertolucci, Gato Preto, Gato Branco do incontornável Emir Kusturica e por fim Le Fate Ignorante do novíssimo que não é assim tão novo Ferzan Ozpetek.

E assim, passam as horas de tempestade. Em momentos de calma visito a Picasso no seu museu no bairro del Borne( expõe-se actualmente os estudos do mestre sobre as meninas de Velásquez), a Tapiés, Barceló, Saura, Bala e outros contemporâneos na colecção permanente do Macba.
Musica, oiço toda a colecção Hotel Costes, Cesária lá está num divertido jogo de sons electrónicos.
Em outros momentos, as estórias tricotadas com meu amigo poeta Alberto Campos na Calle Riera baixa. Uma história de Barcelona: pelas ruas de Barcelona tem nestes últimos meses surgidos uns bonecos a quem se chamam “os castigados”.

Imagine-se a velha estória de castigar os meninos traquinas colocando-os de cara virada à parede. Assim são “Os castigados”, sua missão recordar a quem os vê esses momentos de castigo, em que só o castigado revisita mundos invisíveis em extrañas conversações com a parede.
Meta: invadir toda Europa e cidades do mundo. Tenho a missão de leva-los a Paris amanhã, e a Lisboa no dia 27. Para surpresa dos que não acreditam que Cabo Verde está muito muito à frente…Praia vai se adiantar a muitas outras cidades do mundo.
“O Castigado” caboverdiano chega comigo e em Outubro vai se exibir numa parede qualquer do Plateau.

Hoje á noite projecta-se nas paredes de Riera slides de “Cabo Verde Spritu Lebi”.
Hasta ya compañeros.

Abraão Vicente
trapitchicana@hotmail.com Posted by Picasa

You Might Also Like

0 comments: