Negro Negríssimo!

12:32 da manhã Angelo Barbosa 4 Comments



Moçambique onde a tal lusofonia é Negra, negríssima.
A mim me propuseram uma bienal de arte e afinal uma viajem ao passado!

Vestígios de um tal filme Underground de Kusturika, alguém anda a tramar o povo Moçambicano com estórias de que ainda o dia da independência não chegou, fantasmas ressuscitam e Samora Machel grita em autocarros da Bienal "ou independência ou morte".
Lá também vestígios do homem branco, nunca fartos de poder, nunca fartos de explorar, o povo esse indiferente, tenaz luta, doente, morre aos milhares entre montes de lixo e beijos de sida!

Mas nao me esqueço do glamour da noite de Maputo, Discoteca COcNuts orgia de beleza, êxtase de corpos em delirium total, bum, bum bum. Envergonha-te Bomba, Zero, Capitais, Flampa cala-te boca!

E logo nem me atrevo a descrever os enormes auditórios espalhados por toda a cidade, o imenso centro cultural Franco Africano e suas contemporaníssimas exposições; aii Cabo Verde exige a tua africanidade para que alguém se lembre de ca investir na cultura! Talvez os ingleses que todos dizem estão por chegar!

O núcleo de arte: artistas unidos jamais seremos vencidos!!! Artistas a quem se disponibiliza material; espaço de
trabalho e galeria de arte com a única de missão de, admirem-se os mais cépticos: criar, criar, criar!!

A finalizar Moçambique é considerado um dos três países mais pobres do mundo...e nós cavalgamos a passos largos rumo ao leque dos países que em via de desenvolvimento;
que divertido!

Nota final:
Malangatana é fixe e deixou-nos pintar em sua casa e usar da sua tinta!

Um grande Abraço
Abraão Vicente Posted by Picasa

You Might Also Like