Gamboa 2006 - Brevíssimas Notas

12:58 da manhã Angelo Barbosa 1 Comments


Gamboa 2006 como evento, este ano "pariu" umas coisas interessantes.
1.Achei inteligente as ideias da Agenda Cultural "Riba Praia", o "Praia.Mov e outras iniciativas. Plateau, como espaço viu nascer a cidade merece no meu entender o ano todo eventos, para que as pessoas saiam à rua para sentir a sua cidade. A cultura e seus eventos é o instrumento para isso.

2. Estive muito pouco tempo na "areia". Deu para ver o Djingo, este grupo que vai dar que falar. "Watch them"...Mereciam era um som à altura das boas músicas que levaram.
Esperava mais do Bulimundo. Afinal, rapazes? E novas composições?

3. No espaço chamado "Palco 2", me surpreendeu a grande batukada das "criolas" do Shukayaya de São Vicente, convidadas para abrirem o concerto de Mário Lúcio.
Mário Lúcio, que fez uma boa actuação, apresentou 4 temas novos...aliás coisa típica de festivais lá fora...

4. Li no asemana on line que o festival foi um sucesso e o público foi levado ao delírio com o naipe de artistas que actuaram...

5. Valeu mesmo o almoço e a feira de gastronomia. Será que aqueles restaurantes não podem ficar lá para sempre...ou então nos fins de semana!!!

Enfim, sem poder dizer mais, foi mais um Gamboa. Posted by Picasa

You Might Also Like

1 comments:

J.Faria disse...

Olá a todos e desculpem a invasão, mas não posso deixar de dizer uma coisinhas!Lá vão já 30 anos de independência! Ena pá! Quem diria Cabo Verde é um país viável! Acima de tudo ainda consegue produzir figuras de porte internacional: Cesária Évora, Germano Almeida, Tito Paris, Herminia e e e e.... a sustentar esse desenvolvimento formidável sem duvida uma elite intelectual que vem desde os tempos coloniais e se foi reforçando com grande pensadores ao longo desses anos. Posto isso, então não entendo eu por que raio se deixam vender da forma como se está fazendo nesse tal “Nha terra Nha Cretcheu”, lindas imagens, sem duvida, igual hipocrisia, igual desrespeito pelos que suponho não têm uma vida tão fácil, tão colorida. Parece um programa feito por encomenda de alguém que se quer manter no sonho de um pais perfeito, na fantasia de que o futuro é uma reserva cor de rosa para o pais. Frases como: “Mindelo é uma ilha dominada por europeus” ou” particularidades culturais que se podem encontrar sempre nos locais geridos por europeus”. Cabo Verde é ou não um pais livre e democrático? Pus-me a pesquisa na net. Encontrei várias coisas interessantes, inclusive um blog dos tipos que fazem o programa, mentalidade “tuga” até ao tutano(deixo á vossa curiosidade a procura desse blog) e meu pasmo vem do facto de não ter encontado em nenhum jornal online, em nenhuma página ou blog de cabo-verdianos uma critica séria ao tema! Será que os caboverdianos têm medo de alguma forma de repressão???quem são os tipos e como foram parar a Cabo Verde??? Então pus-me no search à procura de jornais e páginas cabo-verdianas, encontrei imensas coisas interessantes inclusive inúmeros blogs, alguns muito muito curiosos, apartir de uns fui tendo acesso a outros e agora não vou perder contacto com essa terra sabi. Contudo nas páginas/blogs todo mundo bla bla bla bla voltas e voltas e mais massagens ao ego entre muitas informações uteis e logo adoptar uma atitude critica respeitoa repeito da falta de respeito desfarçada com que se trata o povo caboverdiano no cartão postal de Nha terra nha crectheu!! Eu como português fiz voluntariado em 94/95 e 96 em Santiago e Fogo, de facto gostei, mas ao mesmo tempo trabalhei com a população mais carenciada do interior dessas ilhas e muito recentemente estive aí e a situação não é muito melhor, daqui de Viena, onde vivo actualmente, apanhei o programa por acaso na RTp int., agora tento ver o programa sempre que posso, mas tenho sempre a impressão de ser propaganda política de muito mau gosto numa democracia! Beijos e abraços a todos e desculpem lá a invasão ....
João Faria Guerra: joo_guerra@yahoo.co.uk