terça-feira, abril 04, 2006

Casa da Cultura - Nta Mora Li

Posted by with No comments


Aqueles que sintonizaram a TV nacional na passada sexta feira à noite foram de certeza surpreendidos com uma nova proposta em termos de programa cultural na televisão pública.

O projecto concebido por Abraão Vicente, artista plástico e patrocinado pelo Centro Cultural Francês, merece destaque pela sua forma simples mas com um substrato conceitual forte para além da dimensão informativa. O programa deixou transparecer que há um compromisso com imagens, com momentos, com relações e com a comunidade artística. E como em Cabo Verde o que mais conta (a sério) é a cultura muita gente vai “curtir” a Casa da Cultura. Nôs tudu nu ta mora la di certeza, na hora do programa.

Estes primeiros 30 minutos de program pôs a claro um conjunto de eventos que marcaram a Cidade da Praia nos últimos dias. Expressões Culturais de quase todos os segmentos. Assim a música, o teatro, a pintura, a dança, a fotografia e seus criadores tiveram um espaço para não só aparecer como também para falar.

O programa devolveu aos artistas um tempo que muitas vezes não têm que é “passarem o seu discurso” sobre a sua arte. Assim, por exemplo ouvir César Cardoso, fotógrafo falar da “sua fotosintizi” no ambiente da própria exposição, ouvir de Mano Preto as próximas “viagens na dança” do grupo Raiz di Polon, ou ainda a entrevista com Princesito para contar da sua experiência e de seu mundo, constituem dimensões importantes deste novo programa.

Por outro lado, o programa deixa uma dimensão que para mim é fundamental. A cultura está à solta e ela acontece a todo o tempo. Não se pode depender de despachos e notas para captarmos a dinâmica cultural em Cabo Verde. É preciso ter aquela sensibilidade para traze-la para um formato apresentável e de forma rápida. É preciso uma dose grande de flexibilidade para estar nos locais e espaços onde as “coisas” acontecem e ainda inteligência para navegar na fundamental dimensão conceitual.

Abraão Vicente está a conseguir com a Casa da Cultura, já na primeira edição, uma inovação. Conseguiu fazer e trazer não só momentos e imagens lindos como também um conteúdo que me parece vai ser essencial para ajudar a surgir algo urgente no domínio da produção cultural: a qualidade.

Por isso tudo, Son di Santiagu envia um abraço di kel forti, para Abraão. Continua com esta mesma luz.

Se podemos dar sugestões aqui vão algumas:
1. Procure criar ligações com todos os que estão directamente envolvidos na produção cultural
2. Faça a necessária pressão para conseguires de facto ser um programa nacional. A Brava é tão importante quanto Praia ou São Vicente
3. Tenha logo de inicio o quadro de financiamentos. O programa tem que durar no tempo

Conte com nosso apoio e de certeza de muitos outros. Posted by Picasa
Reacções:

0 comentários: